Quem manda aqui NÃO sou eu! – Por Mari Patzer

Você provavelmente já ouviu essa frase da sua mãe: “Fulana, quem manda aqui sou eu!” Essa é uma daquelas frases que nós mães falamos sem nem pensar. Com uma bebê, já falei algumas vezes para ela quando não queria me deixar trocar a fralda. Não estou dizendo que isso é ruim, mas que é corriqueiro e sempre escapa. E é certo que nós mães, junto com os pais, somos autoridades sobre a vida dos filhos. Nós “mandamos” nos filhos, mas afinal, quem é que manda na gente? Você já pensou sobre isso?

Hoje temos muito acesso a informação e a forma como podemos formar a nossa opinião. Se você sentar para conversar com outras mães você com certeza ouvirá dicas e palpites de como devemos agir e ser. Existe essa troca de experiência. Mães dividem questões de comportamento, disciplina, o que é certo ou errado, ou a melhor maneira de educar. Em nossa volta, tudo pode influenciar: é a mídia, a bagagem que trazemos da forma como fomos criadas, as outras mães.

Quando o povo de Israel ainda estava peregrinando no deserto, o Senhor Deus deu a eles os primeiros cinco livros da Bíblia – Gênesis, Êxodo, Levítico, Números e Deuteronômio. Esses cinco livros tinham por objetivo instruir o povo e instruir os pais e as mães que já existiam em passar de uma geração a outra o amor a Deus. Em Deuteronômio 6 temos essa ordem que pais devem instruir seus filhos, mas o capítulo começa dizendo o seguinte (v.1):

“Esta é a lei, isto é, os decretos e as ordenanças, que o Senhor, o seu Deus, ordenou que eu ensinasse a vocês, para que vocês os cumpram na terra para a qual estão indo para dela tomar posse”.

O povo de Israel havia recebido do Senhor as leis que deveriam obedecer e cumprir e que os marcariam como o povo de Deus. Nós como cristãos temos a Lei do Senhor: a Bíblia. O Senhor nos deu a sua Palavra para nos ensinar, nos instruir, nos corrigir e nos mudar (2 Timóteo 3.16). A mesma finalidade ainda é válida para nós. Temos a Palavra para obedecermos e nos marcar como povo de Deus. Entretanto, muitas vezes prestamos atenção apenas no versículo 7 desse capítulo e deixamos de notar o versículo anterior (v.6).

“Que todas estas palavras que hoje lhe ordeno estejam em seu coração”.

Antes de mandar em nossos filhos e até ensiná-los a Palavra, o Senhor precisa mandar nas nossas vidas. A Bíblia, a Lei de Deus, precisa estar em nosso coração. Os nossos valores, princípios e regras devem vir da Bíblia. A nossa forma de ensinar e repreender deve vir da sabedoria da Bíblia. A Lei do Senhor deve estar no nosso coração e quem nós somos como pais deve ser transformado a partir da Bíblia e assim, então, conseguiremos colocar em prática o versículo 7: “Ensine-as com persistência a seus filhos”.

Infelizmente, o povo de Deus está caindo no mesmo erro que o povo de Israel. O povo de Israel não seguia a Deus de todo coração, mas sim, conforme o que era conveniente. Eram muitos sacrifícios que se cumpriam, partes do Pentateuco decoradas e até leis que se guardavam, mas não passava de aparência. Hoje, o povo de Deus tem ido às igrejas regularmente, ensinado aos filhos cantar “Três palavrinhas só” e levado para as crianças para as escolas bíblicas de férias, mas não passa de conveniências.

Isso se prova na forma como temos educado nossos filhos e como colocamos qualquer filosofia e experiência acima da autoridade da Palavra. Ouvimos tanto dentro das igrejas “com o fulano deu certo, por que com o meu filho não?”, mas não vemos pais muitas vezes aplicando a disciplina bíblica. Justificamos os pecados dos nossos filhos em vez de trata-los com a seriedade que deveria.

Estamos sendo pais mandados pelas influências externas, e não instruídos pelo Pai que é o verdadeiro amor.Ser pais que obedecem as Escrituras não está na moda e nem é fácil, isso porque vamos contra a direção da maré desse mundo. Entretanto, temos nas mãos o bastão do Evangelho que devemos repassar as próximas gerações e a oportunidade de dar aos nossos filhos a verdadeira alegria, que é Cristo Jesus.

Ser uma mãe que é mandada pela Palavra de Deus vai exigir de mim muitas coisas. Exigirá que o meu coração e o meu caráter estejam sempre diante do Senhor para que Ele me transforme. Exigirá que eu busque conhecer as Escrituras e saiba dar razão da minha fé. Exigirá que eu abra mão da minha experiência e daquilo que eu faço e coloque a minha confiança nas promessas de Deus e naquilo que Ele faz.

Nossos filhos são pecadores e precisam da graça e da salvação de Cristo assim como nós. Hoje estamos fazendo escolhas pelos nossos filhos que irão refletir no futuro deles. Se escolhermos viver pela nossa própria vontade, nossos filhos já nascem sabendo escolher as suas próprias vontades. Precisamos escolher a autoridade de Cristo e assim, nossos filhos podem aprender conosco a obedecerem ao Senhor. Nós mandamos nos nossos filhos, mas Cristo, através da Bíblia, precisa ser quem manda em nós.

Não é sobre feminismo… – Por Lari Couto

Não é sobre o Feminismo. Não é sobre o machismo. É sobre o pecado do egoísmo, da humanidade centralizada na humanidade, não como um todo, mas em sí, cada um em seus direitos, nas suas verdades e suas realizações.

Ser cristão é viver por algo maior que você mesma, é mais do que o individualismo de movimentos que buscam saciar seu próprio senso de justiça e interesses. Ser cristão é viver pelo Reino, em favor do próximo, é lutar por igualdade por entender que Deus nos fez iguais e que as diferenças são reflexo de Sua criatividade e sabedoria em desenvolver o encaixe perfeito familiar e social. Ser cristão é ter o coração movido pela justiça de Deus, que se importa com os mais fracos, os oprimidos (Mt 11:28), não faz distinção de ninguém (Tg 2:1-13).

Não é o sexo que nos torna mais importantes, nunca foi. Toda a opressão vivida por mulheres nos séculos passados não tem relação com a forma de Deus as ver, mas sim com o coração pecaminoso e perverso da humanidade, que tem habilidade de transformar benção em maldição, o perfeito em imperfeito. Todas as vezes que a sociedade permitiu ser transformada pelo evangelho a dignidade da mulher e da família foi restaurada.

Em uma sociedade em que a maioria não sabe qual é o seu lugar e quem de fato é, vive em busca de aceitação, seja por imposição ou conquista, ambas insaciáveis, se guardar para descobrir o seu lugar no Regente da humanidade além de ser sensato, é corajoso. Remar contra a maré da mídia doente, da sociedade perdida em seus próprios desejos doentios e vazios. Viver por algo maior é revolucionário e libertador.

Deus tem um propósito único para a família, existe um poder sobrenatural nesta união, é através dela que somos expostos à nós mesmos e ao outro em suas piores versões, é por meio dela que somos desafiados a rompermos o ego, construir junto de outra pessoa, que por mais semelhanças que hajam, sonham e pensam diferente. É através da família que somos estimulados a apresentar à sociedade corrompida o poder de abrir mão dos seus próprios interesses em prol do outro, e por meio de Cristo aprendemos a fazer isto sem anulação de quem somos.

Não é pecado a mulher trabalhar e se destacar, pecado é quando isto domina seu coração no lugar de Cristo, quando obter isto é mais importante que construir uma família, pois é reflexo da vaidade seja profissional ou material. Não é porque é socialmente mais aceito que o homem abra mão de formar uma família ou se dedicar a ela por priorizar suas próprias realizações que não é pecado. Lembre-se: a sociedade é corrompida.

Sim, podemos fazer aquilo que queremos, fomos criadas potencialmente capaz de sermos o que quisermos ser, se descobrir no Criador é a forma mais inteligente gerar a nossa melhor versão. Lúcifer foi criado para ser anjo de luz, mas escolheu ocupar um lugar que não era dele. Temos habilidades únicas, que se usadas da forma correta tem poder para transformar uma sociedade e por isso esta identidade tem sido tão atacada ultimamente, quando não sabemos distinguir a verdade, as mentiras tomam este lugar, nos iludem por serem exatamente o que o nosso coração enganoso deseja ouvir.

Tome cuidado com quais “verdades” norteiam quem você é. Tome cuidado para não querer ocupar um lugar que não é seu. Descubra nEle a melhor parte de você, seja a sua melhor versão em Deus. Deus nos criou de forma única, para exercermos um papel singular e precisamos descobrir nEle como ocupar este papel na sua totalidade, trazendo valor ao que tem valor, deixando que apenas o Espirito Santo permeie nossa mente, elevando nosso padrão de fé e prática, devolvendo a dignidade que o pecado roubou.

2

Lari Couto

5 Filmes românticos para ver no final de semana!

Guriasssss! Pensa numa pessoa que ama ver filme… sim! Eu!

E como eu vivo procurando dicas na internet, hoje eu trouxe uma listinha para vocês!

1º Orgulho e preconceito! (meu preferido da vida!)

500x

2º Casa Comigo! (Marcou minha vida! Na época de seminário via ele repetidamente com duas amigas (Jé e Lara) aos sábados comendo miojo! :D)

casa-comigo...8

3º Um Amor para Recordar (Só vejam! PS: com uma caixa de lenços na mão!)

WebDesigner

4º Como perder um homem em 10 dias (engraçado e romântico… amamos? Sim ou claro?)

13797341

5º Questão de Tempo (daqueles filmes despretensiosos que chegamos ao final amando sabe?

21053062_20131025204305591.jpg-c_215_290_x-f_jpg-q_x-xxyxx

Tomara que curtam as dicas gurias! E aproveitem muito o final de semana!

Bexooooooos!

Blogs IMPERDÍVEIS!

Guriasssss!
Tô trazendo pra vocês umas dicas de amigaaa… blogs imperdíveis para que vocês possam acompanhar e serem muito abençoadas!

1º Conselho para Meninas

A idealizadora deste Blog eu conheço e é uma guria queriiiida! Ela e mais uma equipe de gurias que amam a Deus e O levam a sério escrevem artigos super úteis e bíblicos! Espero que vocês sejam muito abençoadas!

CLICA AQUI

2º Conexão Conselho Bíblico

A missionária do Palavra da Vida Maria Cecília alimenta esse blog com diversos artigos super interessantes e profundos, ótimo para quem procura material para aconselhamento bíblico.

CLICA AQUI

3º JubaCast

Nesses Podcasts você encontra diversos assuntos tratados em uma linguagem super jovem pelo Pastor Alexandre Mendes, vulgo Sacha. Tem assuntos super interessantes…confere lá!

CLICA AQUI

Bem gurias! Espero que vocês curtam bastante e aproveitem para passar lá no nosso canal e conferir todos os vídeos novos que saíram!

Bexoooooooos meninas! 29313009_1723104761080272_4192745710173327884_n

Maternidade, uma busca contínua pela graça! – Por Mari Patzer

Desesperada. Era assim que eu estava há alguns dias atrás, e eu não tenho quatro filhos, apenas uma linda bebezinha de seis meses. Isso porque ela chorava para mostrar suas vontades e ela gritava, gritava muito para mostrar que ela quer e quer na hora. Como cristã, olho para essa atitude da minha filha e reconheço um coração pecador. Vejo isso nela porque enxergo que o meu também é assim. Na hora do choro, um turbilhão de pensamentos vem na nossa cabeça: disciplina, admoestação, ore pelos seus filhos, não ceda aos caprichos, mais gritos, desespero, o que eu faço???

A maternidade é linda, mas também tem seus momentos desesperadores. Como mães, desejamos o melhor para os nossos filhos e nos dedicamos para isso. Porém, na nossa busca de fazer o que é certo, nos vemos cercadas de insegurança e medo. Sou mãe de primeira viagem, recém-saída do forno, mas já descobri isso.

Mas junto com essa descoberta, tenho conhecido mais um Deus de graça e de amor. Somos tão falhas, mas Ele é tão bondoso e no meio de todo medo e insegurança, podemos buscar refúgio Naquele que é amor e segurança.

Cristo e a Palavra são nosso porto seguro. É mais do que certo que criar filhos tem seus momentos difíceis, mas nós temos a quem recorrer e Ele derrama sua graça sobre nós. A Bíblia nos diz que:

“A tua palavra é lâmpada que ilumina os meus passos e luz que clareia o meu caminho”.

Salmos 119:105

Certo é que não precisamos andar no escuro, sozinhas e sem saber para onde ir como mães. Deus, na sua infinita bondade, nos deu a Bíblia para nos instruir e instruir aos nossos filhos e nos dar direção como mães, esposas, amigas, filhas ou qualquer papel que assumamos. A sua sabedoria estará sempre disponível para nós.

Ele também promete estar junto conosco quando nossos filhos ficam doentes ou se jogam no chão, fazendo birra.

“Por isso não tema, pois estou com você; não tenha medo, pois sou o seu Deus. Eu o fortalecerei e o ajudarei; eu o segurarei com a minha mão direita vitoriosa”.

Isaías 41:10

O Senhor está contigo no seu dia-a-dia como mãe. O Senhor vê quantas fraldas você trocou, os brinquedos que você juntou e tudo que você fez para cuidar dos seus filhos. Ele vê sua alegria com aquele sorrisinho babado e o seu desejo de ter filhos que O amem. Mas Ele também vê o seu cansaço, a sua raiva e as suas frustrações. O Senhor está contigo e Ele te vê como você é e o que você vive. Entretanto, Ele vê além do que nós vemos. Ele vê que o trabalhar Dele na sua vida como mãe, poderá te tornar mais parecida com Jesus Cristo.

Eu sei que nos momentos desesperadores da maternidade, na maioria das vezes, essas coisas nem passam pela nossa cabeça. Mas essas promessas foram feitas a nós por alguém que não mente e nunca falha e irá cumprir o que prometeu. Por isso, precisamos da graça no nosso dia-a-dia da maternidade, para que possamos nos disciplinar a lembrar de que temos um Deus que nos ama, que nos instrui e caminha conosco nos dias bons e nos dias maus.

A maternidade não é apenas sobre dar o nosso melhor, mas sobre aprender: aprender mais quem eu sou e assim, aprender mais quem Deus é, pois é somente com Ele, que o desespero pode se tornar esperança. E Ele está do nosso lado.

Oro para que no meu caminhar como mãe, eu tenha um coração ensinável para aprender e assim, poder dividir com outras mães que nós precisamos de Cristo para cumprir essa tarefa extraordinária e desafiadora que é criar filhos e ensiná-los a amar a Deus.

Que o Senhor te fortaleça amiga mãe e que possamos caminhar juntas, experimentando da graça que a cada dia é dada para nós!

PSX_20180218_004037

Mari e Agnes Patzer

 

OS OPOSTOS REALMENTE SE ATRAEM? 

Não acredito nisso! Acredito que “Os DISPOSTOS se atraem”… sim, porque sempre deve haver uma disposição de ambas as partes para que o relacionamento dê certo!
Exemplo disso… quando eu comecei a namorar o Di (me julguem mas…) eu não gostava de comida japonesa e nem de açaí, hoje sou eu quem peço para ir comer os dois (rombo no orçamento, sim ou claro?!).
Esses são exemplos simples de coisas que aprendemos a gostar, e tudo bem não gostar também!
Fato é que AMAR exige de nós “abrir mão”, deixar de lado conceitos antigos e estar abertos a novos, permitir que a outra pessoa seja quem ela é e isso mudar as suas expectativas em relação a esse alguém, é vc também aceitar que ela não será perfeita por mais que tente, ela vai falhar! Amar também é estar com a porta do perdão sempre aberta, é correr o risco de ser vulnerável, ficar com o coração desprotegido por você mas permitir que outra pessoa o proteja! Amar é querer caminhar de mãos dadas nos dias cinzas ou de sol, de trovoadas ou de uma brisa suave! Amar é estar disposto a amar como Cristo amou você! ❤️

IDENTIDADE – Por Larissa Couto

Oiii, meninas!

Vou estrear a minha coluna com algo que Deus tem ministrado ao meu coração há 7 meses: IDENTIDADE. Em toda minha vida precisei me apresentar, seja na época de escola, faculdade, trabalho, igreja e isso nunca foi tão difícil como tem sido ultimamente. Estar em uma busca profunda da minha identidade como Filha tem despertado diversas dúvidas sobre o que de fato é relevante em mim, o que me torna o que sou a ponto de ser citado para me definir.

Quem você é? Constantemente faço essa pergunta para mim mesma, dificilmente tenho uma resposta certa e igual em todas elas. Agora eu te pergunto, quando você não é esposa, não é a profissional, quando não é mãe, filha, irmã, quando você não é aquilo que faz na igreja, o que sobra?

Tenho descoberto que mais importante do que as folhas são as raízes. No decorrer do ano/vida as folhas nem sempre estiveram/estão verdes, fixadas ao galho e gerando frutos. A vida é feita de estações e quando o inverno chegar, são as raízes que te firmarão em meio aos ventos fortes e temporais, porém raramente nos preocupamos de fato com elas.

A manutenção de quem nós somos é mais profunda do que está exposto. Existe algo mais importante por trás daquilo que você faz e do lugar que você ocupa, existe algo mais profundo que precisa ser resgatado e redefinido. Sua IDENTIDADE. Sem todos os adicionais que “ser alguém” traz. VOCÊ. Sem corresponder ao que esperam, sem cumprir obrigações, necessidades, sem expectativas.

Muitas vezes o contexto não te permite ser você mesma, fazer o que realmente gosta, não fazer o que incomoda. Talvez, em meio a tantas demandas, você nem saiba quem é quando não está exercendo alguma de suas funções (mãe, esposa, filha, profissional). A necessidade de fazer o que precisa ser feito, muitas vezes rouba a essência do propósito, o “realizar” sem estar alinhado com o desejo de trazer glória e graça através da SUA vida, de quem VOCÊ É de fato, te impedem de ouvir dEle quais as perspectivas que Ele tem a seu respeito em cada área da sua vida.

A rotina, o pecado, as dores, frustrações, as expectativas em lugares errados roubam a nossa personalidade original. Somos essencialmente filhos, peregrinos e noivas, mas temos permitido que circunstancias distorçam a nossa visão de nós mesmos pela valorização de tudo que não produz verdade.

A nossa capacidade em criar ídolos deturpa a essência da nossa identidade em Cristo, através de discursos que inflam o ego através de palavras que engrandecem o poder feminino independente de Cristo ou a facilidade de não tratarmos com responsabilidade e empenho as coisas “secundárias” por sermos peregrinos neste mundo.

Não saber quem realmente você é ou se enxergar de forma equivocada impede que você seja por inteiro, distorce a forma de olhar o outro e à Deus. Os seus erros e pecados não definem sua identidade, as suas decepções, alegrias e conquistas também não. A sua identidade é redefinida pelo sangue de Jesus que torna nova todas as coisas, restabelece através de uma nova ótica a forma de viver, de se entregar e se aceitar. Sem narcisismo, sem alimentar o “eu” ou desmerece-lo. Cristo é o único capaz de coloca-la exatamente onde você deve estar, te trazer a essência de ser filha, regenerada. A entrega e a intimidade com Deus levam à uma revelação de quem você é. A medida que você caminha em direção à Ele, a sua identidade é restituída, reafirmada e se torna evidente.

Somente nEle você vai descobrir quem realmente é. Livre dos estereótipos, dos cargos, das marcas. Você foi criada de forma maravilhosa para cumprir um propósito único, os olhos dEle te enxergaram antes mesmo de você existir, Ele conhece as palavras ainda não ditas pela sua boca e ainda assim Ele insiste em te usar, em te amar.

Há algo de extraordinário em ser você, simplesmente por ter sido gerada nos planos de Deus. O criador e sustentador do universo, também segura o teu coração. A voz que criou o mundo, sussurra todos os dias o quão amada você é, não para alimentar um amor centralizado em você, mas nEle, porque Ele é exatamente isto, amor!

O caminho para retornar a origem da sua personalidade está em Cristo, é nEle que o processo acontece. É através dEle que os sentimentos e desejos legítimos são filtrados. A descoberta da identidade é uma longa jornada, nem sempre fácil, um pouco dolorida, mas libertadora e de cura. Ouse se descobrir no Senhor, ouse ser inteira! Minha oração é para que em meio à uma realidade de incertezas possamos nos tornar cada vez mais certas de quem somos nEle, em meio à superficialidade e as demandas da vida possamos ser inegociáveis com as verdades que definem quem somos e porque somos. Que sejamos filhas que sabem o seu valor e por isso se colocam de forma efetiva no meio onde vivem.

2

Larissa Couto