Não é sobre feminismo… – Por Lari Couto

Não é sobre o Feminismo. Não é sobre o machismo. É sobre o pecado do egoísmo, da humanidade centralizada na humanidade, não como um todo, mas em sí, cada um em seus direitos, nas suas verdades e suas realizações.

Ser cristão é viver por algo maior que você mesma, é mais do que o individualismo de movimentos que buscam saciar seu próprio senso de justiça e interesses. Ser cristão é viver pelo Reino, em favor do próximo, é lutar por igualdade por entender que Deus nos fez iguais e que as diferenças são reflexo de Sua criatividade e sabedoria em desenvolver o encaixe perfeito familiar e social. Ser cristão é ter o coração movido pela justiça de Deus, que se importa com os mais fracos, os oprimidos (Mt 11:28), não faz distinção de ninguém (Tg 2:1-13).

Não é o sexo que nos torna mais importantes, nunca foi. Toda a opressão vivida por mulheres nos séculos passados não tem relação com a forma de Deus as ver, mas sim com o coração pecaminoso e perverso da humanidade, que tem habilidade de transformar benção em maldição, o perfeito em imperfeito. Todas as vezes que a sociedade permitiu ser transformada pelo evangelho a dignidade da mulher e da família foi restaurada.

Em uma sociedade em que a maioria não sabe qual é o seu lugar e quem de fato é, vive em busca de aceitação, seja por imposição ou conquista, ambas insaciáveis, se guardar para descobrir o seu lugar no Regente da humanidade além de ser sensato, é corajoso. Remar contra a maré da mídia doente, da sociedade perdida em seus próprios desejos doentios e vazios. Viver por algo maior é revolucionário e libertador.

Deus tem um propósito único para a família, existe um poder sobrenatural nesta união, é através dela que somos expostos à nós mesmos e ao outro em suas piores versões, é por meio dela que somos desafiados a rompermos o ego, construir junto de outra pessoa, que por mais semelhanças que hajam, sonham e pensam diferente. É através da família que somos estimulados a apresentar à sociedade corrompida o poder de abrir mão dos seus próprios interesses em prol do outro, e por meio de Cristo aprendemos a fazer isto sem anulação de quem somos.

Não é pecado a mulher trabalhar e se destacar, pecado é quando isto domina seu coração no lugar de Cristo, quando obter isto é mais importante que construir uma família, pois é reflexo da vaidade seja profissional ou material. Não é porque é socialmente mais aceito que o homem abra mão de formar uma família ou se dedicar a ela por priorizar suas próprias realizações que não é pecado. Lembre-se: a sociedade é corrompida.

Sim, podemos fazer aquilo que queremos, fomos criadas potencialmente capaz de sermos o que quisermos ser, se descobrir no Criador é a forma mais inteligente gerar a nossa melhor versão. Lúcifer foi criado para ser anjo de luz, mas escolheu ocupar um lugar que não era dele. Temos habilidades únicas, que se usadas da forma correta tem poder para transformar uma sociedade e por isso esta identidade tem sido tão atacada ultimamente, quando não sabemos distinguir a verdade, as mentiras tomam este lugar, nos iludem por serem exatamente o que o nosso coração enganoso deseja ouvir.

Tome cuidado com quais “verdades” norteiam quem você é. Tome cuidado para não querer ocupar um lugar que não é seu. Descubra nEle a melhor parte de você, seja a sua melhor versão em Deus. Deus nos criou de forma única, para exercermos um papel singular e precisamos descobrir nEle como ocupar este papel na sua totalidade, trazendo valor ao que tem valor, deixando que apenas o Espirito Santo permeie nossa mente, elevando nosso padrão de fé e prática, devolvendo a dignidade que o pecado roubou.

2

Lari Couto

Maternidade, uma busca contínua pela graça! – Por Mari Patzer

Desesperada. Era assim que eu estava há alguns dias atrás, e eu não tenho quatro filhos, apenas uma linda bebezinha de seis meses. Isso porque ela chorava para mostrar suas vontades e ela gritava, gritava muito para mostrar que ela quer e quer na hora. Como cristã, olho para essa atitude da minha filha e reconheço um coração pecador. Vejo isso nela porque enxergo que o meu também é assim. Na hora do choro, um turbilhão de pensamentos vem na nossa cabeça: disciplina, admoestação, ore pelos seus filhos, não ceda aos caprichos, mais gritos, desespero, o que eu faço???

A maternidade é linda, mas também tem seus momentos desesperadores. Como mães, desejamos o melhor para os nossos filhos e nos dedicamos para isso. Porém, na nossa busca de fazer o que é certo, nos vemos cercadas de insegurança e medo. Sou mãe de primeira viagem, recém-saída do forno, mas já descobri isso.

Mas junto com essa descoberta, tenho conhecido mais um Deus de graça e de amor. Somos tão falhas, mas Ele é tão bondoso e no meio de todo medo e insegurança, podemos buscar refúgio Naquele que é amor e segurança.

Cristo e a Palavra são nosso porto seguro. É mais do que certo que criar filhos tem seus momentos difíceis, mas nós temos a quem recorrer e Ele derrama sua graça sobre nós. A Bíblia nos diz que:

“A tua palavra é lâmpada que ilumina os meus passos e luz que clareia o meu caminho”.

Salmos 119:105

Certo é que não precisamos andar no escuro, sozinhas e sem saber para onde ir como mães. Deus, na sua infinita bondade, nos deu a Bíblia para nos instruir e instruir aos nossos filhos e nos dar direção como mães, esposas, amigas, filhas ou qualquer papel que assumamos. A sua sabedoria estará sempre disponível para nós.

Ele também promete estar junto conosco quando nossos filhos ficam doentes ou se jogam no chão, fazendo birra.

“Por isso não tema, pois estou com você; não tenha medo, pois sou o seu Deus. Eu o fortalecerei e o ajudarei; eu o segurarei com a minha mão direita vitoriosa”.

Isaías 41:10

O Senhor está contigo no seu dia-a-dia como mãe. O Senhor vê quantas fraldas você trocou, os brinquedos que você juntou e tudo que você fez para cuidar dos seus filhos. Ele vê sua alegria com aquele sorrisinho babado e o seu desejo de ter filhos que O amem. Mas Ele também vê o seu cansaço, a sua raiva e as suas frustrações. O Senhor está contigo e Ele te vê como você é e o que você vive. Entretanto, Ele vê além do que nós vemos. Ele vê que o trabalhar Dele na sua vida como mãe, poderá te tornar mais parecida com Jesus Cristo.

Eu sei que nos momentos desesperadores da maternidade, na maioria das vezes, essas coisas nem passam pela nossa cabeça. Mas essas promessas foram feitas a nós por alguém que não mente e nunca falha e irá cumprir o que prometeu. Por isso, precisamos da graça no nosso dia-a-dia da maternidade, para que possamos nos disciplinar a lembrar de que temos um Deus que nos ama, que nos instrui e caminha conosco nos dias bons e nos dias maus.

A maternidade não é apenas sobre dar o nosso melhor, mas sobre aprender: aprender mais quem eu sou e assim, aprender mais quem Deus é, pois é somente com Ele, que o desespero pode se tornar esperança. E Ele está do nosso lado.

Oro para que no meu caminhar como mãe, eu tenha um coração ensinável para aprender e assim, poder dividir com outras mães que nós precisamos de Cristo para cumprir essa tarefa extraordinária e desafiadora que é criar filhos e ensiná-los a amar a Deus.

Que o Senhor te fortaleça amiga mãe e que possamos caminhar juntas, experimentando da graça que a cada dia é dada para nós!

PSX_20180218_004037

Mari e Agnes Patzer

 

Minha História sobre a Espera

Meus pais foram evangelizados pelo médico que fez o meu parto e o do meu irmão (somos gêmeos rs), então tive o privilégio de crescer em um lar cristão e ser ensinada desde pequena a amar ao Senhor.

Mas filho de crente, crentinho não é! rs Então eu tive realmente meu encontro real com Jesus quando eu tinha 13 anos de idade, a partir dai Jesus não era apenas aquele personagem principal das histórias que ouvia na Igreja, Ele era o Personagem principal da minha história, Ele veio e mudou tudo!

Com 14 anos de idade Deus me chamou mais especificamente para servir a Ele de tempo integral (por mais que eu pense que essa é uma tarefa de todo cristão, mas enfim, seria um trabalho mais missionário!).
Comecei a planejar minha vida depois do Ensino Médio e até lá fui me envolvendo com Missões de maneira parcial em viagens e trabalhando em uma missão.

Finalmente aos 18 anos de idade o tão esperado sonho de fazer teologia havia chegado, fui morar em Atibaia no Seminário Bíblico Palavra da Vida onde ficava integralmente por lá. Foram três anos marcantes e muiiiito especiais, tudo que aprendi, que vivi e as pessoas que conheci contribuíram para que tudo fosse ainda mais especial!

Tive experiências missionárias em meus 3 anos lá, porém, uma das mais marcante foi quando fui a Moçambique na África, sabe aquele sonho de menininha? Se tornou real! Pude servir com pessoas maravilhosas e aprender lições valiosas. Me formei em 2012, fiz um curso de Aconselhamento Bíblico em 2014 e estava me preparando junto a uma Missão para voltar para a África e poder dessa vez servir por mais tempo!

Enquanto eu cuidava de me preparar para os MEUS planos, Deus estava me preparando para os SEUS! Nesse curso em São Paulo reencontrei um amigo que estudamos juntos em 2010 no Seminário, ele me contou que estava começando um Projeto Missionário com seu amigo “Diego”, aí tudo começou a mudar…

Desde que me converti Deus colocou o desejo em meu coração de esperar por aquela pessoa a quem um dia entregaria meu coração, os anos passavam e parecia que Deus havia se esquecido um pouco desse lado da minha vida, eu estava com 23 anos formada no Seminário e pronta a ir para a África como Missionária e apesar de estar realizando sonhos também gostaria muito de poder fazer isso com a minha própria família!

Em Agosto de 2014 Deus deu SEU jeito de me apresentar ao Diego, um jovem cristão, servindo a Deus de tempo integral no Ministério e se preparando para ir para o campo missionário, incrível o humor de Deus né? Ele colocou alguém com todas as características que havia sonhado, orado e esperado!

Desenvolvemos uma amizade tão prazerosa e depois de algum tempo já nos conhecíamos como velhos e melhores amigos. Até que o dia havia chegado, eu tremia e sentia aquele frio no estômago, estava tão nervosa! rsrs O Diego se declarou para mim e deixou clara as suas intenções, ambos queríamos um namoro para casar e juntos podermos servir a Deus!

Tudo aconteceu de uma forma tão especial, nossas família, pastores e líderes nos apoiando e abençoando, sentimos a paz de Deus que excede todo o entendimento e sabíamos que estávamos no caminho certo!
Aos meus 23 anos tive meu PRIMEIRO namorado, dei meu PRIMEIRO beijo e se Deus assim permitir ele será meu primeiro e meu último!

Deus tem me dado a oportunidade de ministrar a muitas meninas, compartilhar minha história sobre espera e encorajá-las. Mas o que quero te dizer é que a principal história disso tudo não foi e nem tem sido a que tem acontecido entre mim e o Diego, a principal história é a que acontece entre mim e Deus! E essa também é a sua!

Quero muito encorajar a todas (os) que esperem no Senhor, mas não quero que esperem que Deus faça as SUAS vontades, mas que você espere pela vontade DELE!
A principal lição de tudo isso não foi que Deus me ajudou a esperar e depois me deu alguém para amar, a principal lição foi como eu aprendi e tenho aprendido a ser satisfeita em Cristo. Em alguns momentos da minha vida me coloquei a disposição de Deus, para que se fosse plano dEle que eu ficasse solteira que Ele me ajudasse a ser feliz assim!
Saibam que nada nesse mundo poderá satisfazer você a não ser Cristo! Não espere alguém chegar em sua vida para começar a viver, a sua vida já começou e você deve vivê-la satisfeita em Cristo e vivendo os planos Dele!

Sei que não é fácil, sei mesmo porque vivi momentos de confusão, chateação e tristeza mas Deus me confortou, encorajou e me amou da maneira mais poderosa do mundo que nenhum outro amor poderá superar! Então quero encorajá-la a entregar-se a Esse amor, confiar nEle e viver por Ele!

Deus é mais glorificado em nós quando estamos mais satisfeitos nEle!

(John Piper)

Por Ju Lima

Papo de Sexta – Sarinha Souza

Oi meninas, mais um devocional para vocês!

“Amando quem eu não consigo ou quero amar”

O amor deve ser sincero. Odeiem o que é mau; apeguem-se ao que é bom.
Dediquem-se uns aos outros com amor fraternal. Prefiram dar honra aos outros mais do que a si próprios.

Romanos 12:9-10

Jesus nos deu milhares de bons exemplos ao longo de sua vida, mas um que eu particularmente considero, um dos mais importantes é o Amor. Em especial quando temos que amar alguém de quem não gostamos ou alguém que nos chateia.

“Mas Sara eu não posso fingir gostar de alguém, de que quem na verdade não gosto.”

Não, realmente não pode. Por esse motivo Paulo nos diz no versículo 9 que o amor deve ser sincero. Mas isso não é fácil, exige sacrifício. Porém, quando decidimos amar alguém que nos magoou (digo, amar genuinamente) Deus certamente nos abençoa e nos ajuda a fazermos isso com excelência.

Lá em João 13.34-35, Jesus diz que seremos reconhecidos por discípulos quando praticarmos o Amor, da mesma forma que Jesus nos amou (e nos ama), apesar de sermos pecadores miseráveis (porque sim, é o que somos).

Não façamos isso para que sejamos reconhecidos por pessoas, mas pelo Senhor, que conhece nosso coração.

“Um novo mandamento lhes dou: Amem-se uns aos outros. Como eu os amei, vocês devem amar-se uns aos outros.
Com isso todos saberão que vocês são meus discípulos, se vocês se amarem uns aos outros”.

João 13:34-35

-Para Refletir

Você já teve dificuldades para amar alguém?

Se você teve e não tem mais, agradeça a Deus por hoje conseguir amar essa pessoa.

Se você ainda tem ore para que Deus ajude nisso e mude seu coração e sua forma de olhar para essa pessoa. Você pode começar orando todos os dias pelo seu coração em relação a pessoa e até mesmo pela própria pessoa.

Beijos, bom final de semana!

Sarinha Souza

Sarinha Souza